Retrocesso! MPF recomenda que bancários não sejam priorizados na campanha de vacinação contra covid-19

Quando os bancários, finalmente, comemoravam a publicação de uma nota técnica que confirmava a vacinação da categoria contra o covid-19, surge um novo empecilho para a imunização dos trabalhadores. O Ministério Público Federal (MPF) recomendou, ao Ministério da Saúde, a retirada de bancários e funcionários dos Correios do grupo prioritário. Ambas as categorias foram incluídas no Programa Nacional de Imunizações (PNI), em 6 de julho, mas as doses ainda não foram aplicadas.
O MPF recomenda que deve ser assegurado o cumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, que prevê o seguimento da campanha pelo critério por idade.
“A vacinação da população em geral, de maneira escalonada e por faixas etárias decrescentes, garante o cumprimento dos princípios da universalidade e do acesso igualitário à saúde, com o fim de impedir a criação injustificada de privilégios para determinadas categorias profissionais”, diz trecho da recomendação do MPF.
Até o momento, o “privilégio” da categoria foi se tornar uma das mais expostas ao covid-19, já que nunca deixou de atender à população durante à pandemia. Inclusive funcionários da Caixa Econômica Federal trabalharam aos sábados para atender o público que recebe o auxílio emergencial.
De acordo com levantamento do Dieese, feito a partir do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a média de desligamentos por morte na categoria bancária saltou de 18,3 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2020 para 50,6 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 176,4%. Apesar do estudo não especificar a causa da morte, é possível deduzir que o aumento está relacionado com os óbitos de bancários por covid-19.
O MPF estabeleceu o prazo de dez dias para que Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, vinculada ao Ministério da Saúde, encaminhe providências concretas para o cumprimento da recomendação.
A notícia chega logo após o Ministério da Saúde publicar uma nota técnica a qual orienta que sejam destinados aos bancários e trabalhadores dos Correios 20% do total de doses de vacinas distribuídas às unidades da Federação.
“O MPF apenas “recomenda”, então temos que aumentar a nossa pressão pela vacinação da categoria. Seguimos em contato com os municípios da região para que eles incluam os bancários, mas eles não são obrigados (a destinar doses à categoria)”, avalia o diretor de Comunicação do Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região, Márcio Kolinski.
Maiquel Rosauro, Jornalista (MTB/RS 13338)
Assessor de imprensa
Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + treze =