Conselho Deliberativo da Cassi cobra esclarecimentos sobre terceirizações de CliniCassi

Os candidatos eleitos pela chapa Unidos por uma Cassi Solidária tomaram posse em junho deste ano e já se depararam com um processo de “Reestruturação da CASSI” que foi idealizado em dezembro de 2021, mas não foi divulgado de forma transparente para os associados.

Desde então, vem circulando informações sobre fechamentos de Unidades e de terceirização de CliniCassis, que poderão impactar negativamente a vida dos associados da Cassi, da ativa e também dos aposentados.

Conforme Cristiana Garbinatto, membro do Conselho Deliberativo da Cassi, as CliniCassi
atendem diversas cidades e colaboram para reduzir as dificuldades dos serviços médicos nestes locais. “Quando ingressamos na atual gestão fomos averiguar, as denúncias que ocorreram durante o processo eleitoral, sobre fechamento de Unidades e terceirização de CliniCassis e realmente existe um projeto de fechamento de todas as CliniCassi de pequeno porte. Os esclarecimentos nos foram apresentados na última reunião, dia 02/09”, afirma.

Somando-se ao projeto de terceirização das CliniCassis, o Conselheiro Deliberativo Alberto Júnior alerta que a reestruturação, decidiu também pelo fechamento das Unidades de Porte 5 (Acre, Amapá, Tocantins, Rondônia e Roraima) com riscos enormes para os associados desses Estados, que pagam a mesma coisa que os demais. “A despesa administrativa nunca foi o problema da Cassi e a economia com o fechamento das cinco Unidades não justifica o peso de ter nossos associados mal assistidos”.

Os Conselheiros Cláudio Nascimento e Gilmar dos Santos destacam que é fundamental que os associados desses Estados, já tão carentes de rede credenciada, organizem um processo de resistência contra esse desmonte.

Os sindicatos dos bancários gaúchos de Santa Maria, Pelotas, Caxias do Sul e Passo Fundo iniciaram o processo de resistência organizando abaixo-assinados contra os fechamentos/terceirizações das CliniCassi de suas cidades. Os documentos foram entregues à Conselheira Cristiana, que deu ciência aos demais integrantes do Conselho Deliberativo e encaminhou aos Diretores da Cassi. “Saliento que a maior preocupação dos associados é com a perda de qualidade de atendimento e o risco de um futuro cancelamento de contratos os deixando sem atendimento”.

Fernando Amaral, Diretor de Saúde, esclarece que a lista de futuras “CliniCassis Parceiras”, a serem geridas por terceiros, seriam criadas em diversos pontos do País e inclui locais onde os serviços de saúde são prestados por nossas CliniCassi (porém, com equipes de saúde da família incompletas ou reduzidas), mesmo que os serviços sejam classificados como positivos. “Temos muitas regiões desassistidas pelo país e as localidades onde não temos os serviços próprios, a assistência é deficitária. Durante a nossa campanha, defendemos que o foco nesse processo de análise de estrutura deveria ser a oferta de Atenção Primária à Saúde (com coordenação de cuidados), dentro da Estratégia de Saúde da Família (ESF), com equipes que devem trabalhar dentro de nossos protocolos de acolhimento e atendimento”, afirmou.

Júnior, Cristiana, Gilmar e Cláudio são uníssonos em afirmar: “Gostaríamos de ressaltar, com nossa admiração, a iniciativa do Diretor Fernando Amaral de propor a suspensão dessas medidas, mas infelizmente vencido, por três a um, na Diretoria Executiva. Tal atitude respeita as propostas que o elegeram e demonstra seu compromisso com Associados da CASSI onde quer que eles estejam”.

Conforme informações, estas seriam as cidades onde as unidades CliniCassi seriam terceirizadas: Araçatuba (SP); Piracicaba (SP); Bauru (SP); São José dos Campos (SP); São José do Rio Preto (SP); Sorocaba (SP); Petrópolis (RJ); Campos dos Goytacazes (RJ); Campina Grande (PB); Feira de Santana (BA); Itabuna (BA); Vitória da Conquista (BA); Maringá (PR); Montes Claros (MG); Uberlândia (MG); Uberada (MG); Passo Fundo (RS); Pelotas (RS);Caxias do Sul (RS); Santa Maria (RS); Joinville (SC); Balneário Camboriú (SC) e Blumenau (SC).

Fonte: Movimento Unidos Por Uma Cassi Solidária

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =