CEBB rejeita proposta do BB para negociar retirada da ação dos caixas

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), reunida na quinta-feira (24), decidiu pela rejeição da proposta apresentada pela direção do banco para que seja retirada a ação judicial relativa ao pagamento da gratificação dos caixas. A gratificação, suspensa pelo BB com o fim da função caixa, vem sendo paga há 30 meses graças a uma liminar da Justiça.

Priscila Aguirres, representante da Fetrafi-RS na CEBB, disse que a proposta, que segue abaixo, é insuficiente e não deve nem ser analisada. “Nossa posição é pela recusa, pois não há qualquer garantia para os 7.800 empregados beneficiados pela ação. Queremos a incorporação da gratificação ao salário para quem tem mais de 10 anos na função”, ressaltou. Como a ação foi movida pela Contraf-CUT, a decisão da CEBB será levada para comando nacional.

Confira os pontos principais da proposta do BB

1. Compromisso de realocar esse público em funções de encarreiramento;
2. Priorizar esse público nas concorrências;
3. Implementar “trilhas de treinamento” para esse público se capacitar para outras funções;
4. Manter o pagamento da gratificação por 12 meses, a contar do acordo para quem tem a gratificação fixada.

Cristiana Garbinatto, diretora da Fetrafi-RS, considera o encaminhamento do Banco do Brasil extremamente equivocado. “No último dia 15, o banco reduziu vagas nas PSOs (aumentando a sobrecarga de trabalho) e abriu vagas para ‘ascensão’, na qual os colegas receberão menos. Nessa semana faz essa proposta insuficiente para retirarmos o processo judicial que está garantindo a manutenção salarial. Esperávamos dessa nova gestão do Banco a valorização dos funcionários e não a continuação dos ataques que sofremos nas gestões anteriores”, desabafa.

Fonte: Fetrafi/RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − um =