Contribuição ou imposto? Bem feito!

Fórmulas mágicas. Palavras de efeito. Beijos em crianças e velhinhas. Bordões. Bem feito. Mau feito. Todos nós já vimos esse filme. A cada dois anos lá vem eles com suas mentiras, empulhações, enganações. Políticos de carteirinha. Prometem fazer milagres para melhorar a vida dos cidadãos eleitores. Em busca do voto e de vencer eleição vale tudo. Em eleições municipais é que nos deparamos com a realidade nua e crua rapidamente. E o governo municipal de nossa cidade mostrou a que veio. Criar e aumentar impostos. Com o título pomposo de Contribuição de Iluminação Pública eles nos impingiram mais um imposto. Pior. Com o voto de seu vereador. A maioria do Parlamento Municipal votou a favor desse esbulho no bolso do contribuinte. Com a desculpa de melhorar a iluminação da cidade colocaram a mão em nosso bolso. De novo. Lembram da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira do governo federal na era FHC? Um Imposto travestido de “contribuição” para melhorar a saúde no país. Melhorou? Ninguém sabe para onde foi todo aquele dinheiro arrecadado. Ou melhor. Temos uma idéia. Talvez tenha comprado reeleição. Dentro de meias, cuecas, bolsas e malas pretas. Afinal os políticos ganham tão pouco. Precisam de “ajuda para visitar suas bases” e pedir votos para o que mesmo? Ah! Para se reelegerem e aumentar impostos. Bueno. Que governantes aumentam impostos isso já sabemos. Independente do matiz político-ideológico. O engodo em toda essa situação ficou por conta dos parlamentares. Tanto da situação quanto da oposição. Com exceção de, talvez dois, os outros todos mudaram de lado. Os da oposição que eram situação no governo passado e a favor do imposto desta vez foram contra. E os da situação que antes eram oposição votaram a favor e enfiaram goela abaixo do contribuinte eleitor mais uma taxa. Total incoerência. Se o imposto é necessário porque a oposição que antes era a favor agora votou contra? E a situação só passou a considerar correta a cobrança agora que é governo? Depois quando se diz que político é tudo igual e só muda de endereço e de partido… De qualquer forma perdemos nós, contribuintes, mais uma vez. Para aqueles que não votaram no atual governo, como eu, sinto muito. Para os que votaram – lembram do bordão de campanha deles? – bem feito! Ah! Em tempo. Se é “contribuição” posso me recusar a pagar?
Cesar Santos, bancário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 − três =