A “desratização” do Senado

Uma servidora foi mordida por um rato nas dependências do Senado Federal. A guria ficou em observação e a Secretaria da Mesa e Secretaria Geral do Congresso foram submetidas a uma desratização e dedetização.

Será que o senado está infestado de ratos? A gente até desconfiava que existia uma praga por lá, mas imaginava que eles agiam por debaixo dos panos. Discretamente. Até que a Veja suspeitasse de algo e botasse uma ratoeira na capa. Os relatos são vários, inclusive, que há roedores em outros locais do Senado. Houve reclamações que servidores haviam comentado sobre o aparecimento de abelhas, uma espécie de gambá e escorpiões. Fico imaginando um lobby feito por um escorpião. Certamente, um gambá não teria credibilidade para fazer lobby.

Os diretores da casa agiram corretamente, pois é uma questão de saúde pública. A casa do povo do Brasil não pode estar infestada de bichos nocivos à saúde… a educação… a segurança.

Servidores mais antigos contam que os bichos que frequentam a casa do Senado Federal vão muito além de ratinhos, gambás e escorpiões. Existe, pelo menos, uma raposa velha que está no senado há mais de seis décadas. Essa raposa é intocável. E na maioria das vezes foi justamente ela que cuidou do galinheiro. Sim, existe um galinheiro no senado. Um passarinho contou para um servidor que no Congresso há um revezamento de traíras a cada quatro anos. As traíras têm a capacidade de sobreviver e se renovar. No entanto, essas traíras agem como cordeirinhos e formam um bloco entre os peixes pequenos e os tubarões. Os tubarões não comem os peixes pequenos e os cordeirinhos, porque precisam deles para sobreviver. E quando algum desses bichos resolve cantar de galo, aparece um tucano ou um molusco para fechar o bico do petulante. Alguém comentou sobre patos? Os patos não conseguem entrar no senado, estão sempre do lado de fora. Aliás, são eles que sustentam o zoológico.

O senado tem uma gama de bichos que causam muito mal aos servidores e, por tabela, aos brasileiros. Mas a desratização já é um bom começo. Já pensou se o Mahmoud Ahmadinejad está em visita à casa do povo e é mordido por um ratinho, seria constrangedor.

A limpeza começa pelos ratinhos, mas ainda falta fazer a “desraposaçãovelha”, a “destrairização” e a “desgatização” do Senado. Aí, sim, todos poderemos nos sentir em um ambiente desinfeto.

A informação que temos é que a servidora foi mordida pelo roedor numa quarta-feira. O que causou estranheza, pois imagino que ela tenha sido mordida no fim de semana ou, na pior das hipóteses, numa sexta-feira.

Afinal, quando é que os ratos tomam conta da casa?

Athos Ronaldo Miralha da Cunha, bancário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 20 =